COVID-19. Abrimos nossas fronteiras. Leia a informação aqui..

Procure em La Ruta Natural

Aqui você pode pesquisar na página de La Ruta Natural o conteúdo desejado.

Pesquisar:

Kit de Primeiros Socorros

Leve em conta estas recomendações de saúde e segurança para suas viagens.

Kit De Primeiros Socorros Cuide-se do sol Doença de altitude Mosquitos Abelhas, vespas e formigas Aranhas e escorpiões Serpentes Encontro com grandes animais

Kit De Primeiros Socorros

O kit de primeiros socorros deve ser mantido em local fresco, seco, limpo, de fácil acesso e fora do alcance das crianças. Os itens devem ser mantidos em boas condições, as datas de validade devem ser verificadas e reabastecidas periodicamente.  

 

Itens básicos sugeridos: 

  • Repelente de insetos (com DEET) 
  • Protetor solar 
  • Álcool líquido ou gel para higiene de mãos. 
  • Antissépticos para desinfecção de feridas (iodo povidona, água oxigenada 10 vol. ou álcool). 
  • Sabão branco neutro para higienizar mãos ou feridas.
  • Gazes e ataduras limpas (de 7 e 10 cm de largura) para limpar as feridas e para deter sangramentos.
  • Limpar as feridas e parar o sangramento.
  • Bandas e fitas adesivas para fixar bandagens.
  • Luvas de látex descartáveis para evitar contaminar as feridas.
  • Tesouras para cortar gaze, ligaduras ou roupas.
  • Termômetro
  • Medicamentos: analgésicos, antifebris, antihistamínicos, antidiarreicos, antialérgicos, antibióticos de uso tópico.
  • Creme para picadas
  • Decadron injetável 
  • Sais de reidratação oral
  • Pastilhas de purificação de água (dependendo do destino)
  • Medicação com prescrição médica de acordo com a pré-existente (diabéticos, hipertensos, asmáticos). Leve sempre uma dose extra. 

Cuide-se do sol

  • Insolar-se ou ser afetado pela temperatura pode fazer você passar um mal momento durante sua viagem. Felizmente, é muito fácil se prevenir.  
  • Use sempre boné, protetor solar, se necessário, óculos escuros.
  • Sempre que possível, evite ficar ao sol  durante as horas de maior calor
  • Mantenha-se hidratado. Leve sempre uma garrafa recarregável com água potável.
  • Durante os percursos, faça pausas para descansar e beber água.

Doença de altitude

 

A doença aguda de montanha (também chamada doença de altitude) ocorre quando você visita regiões acima de 2500 metros acima do nível do mar sem preparação prévia. Pode causar dor de cabeça, tonturas, náuseas, distúrbios do sono e, nos casos mais graves, edema pulmonar e edema cerebral. Seguindo passos simples, é possível evitar isto.

 

Como evitar a doença de altitude: 

  • Evitar subidas repentinas em poucas horas. 
  • Durante os primeiros dois ou três dias em altitude, fazer pouca atividade física.
  • Consumir carboidratos (açúcares) em porções pequenas e múltiplas. 
  • Não fumar nem beber bebidas alcoólicas. 
  • Não tomar remédios que provoquem sonolência. 
  • Consulte seu médico se alguma medicação específica for recomendada antes da viagem. 

Mosquitos

Os vírus da dengue, chikungunya e zika são transmitidos pela picada do mosquito Aedes aegypti. Se você viajar para uma área onde essas doenças estão presentes (províncias do centro e norte da Argentina), siga estas dicas: 

 

  • Utilize roupas de cores claras com mangas compridas e calças compridas, especialmente ao ar livre. 
  • Utilize repelentes na pele exposta e reaplique de acordo com as instruções da embalagem. 
  • Pulverize suas roupas também: os mosquitos podem picar através de roupas de tecidos finos. 
  • Utilize pastilhas repelentes para o ambiente. 
  • Proteja o berço ou carrinho de bebê com tecido mosquiteiro tipo tule quando estiver ao ar livre e certifique-se de que elas permitam uma ventilação adequada. 

Em caso de sintomas como febre, dor de cabeça (especialmente na área dos olhos), dor muscular ou articular, erupção cutânea, náuseas e vômitos, consulte o serviço médico local. Não se automedique, especialmente evite tomar aspirina ou ibuprofeno e remédios injetáveis, pois promovem sangramento.

Abelhas, vespas e formigas

Suas picadas geralmente não são perigosas, exceto quando são em massa (como em ataques excepcionais de enxames de abelhas) ou quando atacam pessoas alérgicas ao veneno.  

 

Para evitar picadas

  • Evite criar distúrbios em favos de mel, colmeias ou formigueiros. 
  • Se uma abelha pousar sobre seu corpo, não tente matá-la ou afugentá-la: é melhor permanecer quieto ou fazer movimentos lentos até que ela se afaste. 
  • Evite deixar lixo e/ou resíduos expostos que possam atraí-las. 
  • Em épocas de alta abundância de vespas, preste atenção ao comer ao ar livre, pois algumas espécies (como a Vespula germânica, conhecida como "jaqueta amarela" encontrada na Patagônia) tendem a pousar na comida e não se assustam facilmente.
  • Evite andar descalço em áreas de alta densidade de vespas, pois os ninhos podem estar no subsolo. 
  • Verifique as roupas e calçados antes de usar. 

Em caso de picadas 

  • Lave a área afetada com água e sabão.
  • Aplique frio local (gelo enrolado) por dez minutos para reduzir o inchaço.
  • Repita em intervalos de dez minutos.
  • Observe a picada durante as próximas horas e dias. Se a vermelhidão ou a dor aumentarem, vá até a unidade de saúde mais próxima. 
  • Se a picada for de abelha, retire o ferrão sem apertá-lo (sempre na mesma direção em que entrou, de modo a não introduzir o veneno na picada). Utilize um cartão plástico ou objeto similar. Não utilize pinças nem pressione com os dedos. 

Aranhas e escorpiões

Nas suas viagens você pode ver todos os tipos de aranhas e escorpiões: a maioria deles são inofensivos, incluindo algumas espécies impressionantes, tais como tarântulas. Na Argentina, apenas quatro espécies são de importância médica e todas contam com tratamento: 

 

  • Viúva-negra (gênero Latrodectus): medem entre 1,5 e 3 cm com as patas estendidas, de cor negra com manchas vermelhas ou alaranjadas no abdômen. Elas não são agressivas e geralmente vivem escondidas sob toras, pilhas de materiais, cercas de arame ou rochas em áreas selvagens e rurais em todo o país. 

 

  • Aranha-reclusa (Loxosceles laeta): aranhas de até 3 cm de diâmetro com as patas estendidas, de cor marrom claro. Elas vivem em todo o país, mesmo nas cidades, em ambientes internos (cantos ou outros esconderijos sem higiene e movimento regular, por exemplo, atrás de quadros ou móveis, armários, rachaduras nas paredes e galpões com materiais armazenados).  Elas não são agressivas. 

 

  • Aranha-bananeira (Phoneutria nigriventer): aranhas grandes, cerca de 12 cm com as patas estendidas, marrom-acinzentadas com manchas. Elas podem ser reconhecidas pela cor avermelhada ao redor das quelíceras (colmilhos) e porque quando se sentem ameaçadas, levantam os dois pares de patas dianteiras, revelando as listras brancas características. Na Argentina elas são encontradas em Misiones, norte de Corrientes, Formosa e nas yungas de Salta e Jujuy, em ambientes de selva e ao redor das casas. Elas são noturnas e, em sua maioria, arborícolas. 

 

  • Escorpião-de-três-bandas (Tityus trivittatus): São encontrados em quase todos os lugares do país. São noturnos, de cor clara e se distinguem pelo padrão de três bandas ou listras nas costas, pinças longas e finas, e um pequeno espinho no ferrão. 

 

Medidas preventivas 

  • Antes de se vestir ou calçar, verifique e sacuda roupas, lençóis e quaisquer objetos depositados no chão onde eles possam se esconder. 
  • Não coloque suas mãos em lugares fora de vista. 
  • Evite andar descalço em áreas onde se sabe da presença de escorpiões. 
  • Não manuseie nenhum tipo de aranha ou escorpião.

 

No caso de picadas  

  • Notifique as pessoas mais próximas para que possam ajudá-lo e levá-lo até um centro de saúde para a aplicação do antídoto específico. 
  • Tente levar o espécime com você (mesmo que esteja morto) para sua identificação e saber se ele requer tratamento. 
  • Remova anéis, pulseiras, correntes, tornozeleiras ou sapatos que possam comprometer a circulação sanguínea. 
  • Realize a antissepsia local. 
  • Aplique compressas frias ou gelo na área da picada. 

Serpentes

Das quase 130 espécies de cobras da Argentina, apenas cerca de 15 podem causar acidentes de importância médica: jararacas, cascavéis, serpentes de coral e algumas poucas cobras. A maioria das espécies que você verá são completamente inofensivas, porém como regra geral, nunca tente manuseá-las. 

Coral Chaquena

Como prevenir as mordidas? 

  • Ao caminhar em áreas onde há cobras venenosas, respeite as trilhas e as áreas marcadas. Evite andar descalço em áreas com vegetação alta ou desgrenhada. 
  • Nas excursões por áreas com alta presença de ofídios, utilize calçado de cana alta, botas de borracha e/ou polainas que o protejam acima dos tornozelos. 
  • Não coloque as mãos em buracos ou cavernas, nem levante pedras ou toras diretamente com suas mãos. 
  • Quando for circular por áreas isoladas, pesquise com antecedência a localização dos lugares onde poderia receber o tratamento com o antídoto apropriado. 

Yarara–chica

O que fazer no caso de acidente com uma serpente? 

Se houver suspeita ou confirmação de envenenamento por cobras venenosas, a pessoa deve ser levada imediatamente a um hospital para ser tratada e avaliada o mais rápido possível. Se necessário, o pessoal médico aplicará um antídoto (soro antiofídico) para neutralizar a toxina. Se atendidas a tempo, as mordidas de cobra venenosa geralmente podem ser tratadas de forma eficaz. A aplicação de soro antiofídico somente deve ser realizada em instituições médicas e por pessoal qualificado. 

 

O que fazer: 

  • Notificar e ir imediatamente a um centro de saúde para a aplicação do antídoto específico. 
  • Fique calmo, não entre em pânico. 
  • Mantenha-se hidratado com água. 
  • Remova anéis, pulseiras, correntes, tornozeleiras e sapatos que possam comprometer a circulação sanguínea. 
  • Restrinja o movimento da pessoa. 
  • Se possível, levar o espécime ou fotografá-lo para que os especialistas possam identificá-lo e aplicar o tratamento correspondente.  

 

O que não fazer: 

  • Não colocar nenhuma substância ou dar à pessoa afetada bebidas alcoólicas ou medicamentos. 
  • Não utilizar torniquetes ou ligaduras. 
  • Não fazer incisões e cauterizações no local da mordida. 
  • Não sugar no local da mordida. 
  • Não dar bebidas alcoólicas nem estimulantes. 
  • Não administrar remédios caseiros, álcool, querosene, vinagre etc. 

Centro Nacional de Intoxicações. Hospital Nacional "Prof. Alejandro Posadas" 0800-333-0160 

Encontro com grandes animais

Pumas e onças-pintadas

Pumas e onças-pintadas são animais tímidos e na Argentina há muito poucos registros de ataques a humanos. Em qualquer caso, tenha em mente estas indicações: 

 

Em lugares que alertam sobre sua presença: 

  • Percorra as trilhas em grupos. 
  • Não deixe as crianças pequenas sem supervisão. 

 

Caso você se depare com um: 

  • Fique calmo e evite correr. 
  • Não vire suas costas para eles.
  • Não se aproxime do animal, afaste-se muito lentamente olhando para ele de frente.
  • Aplauda, levante os braços, aparente ser o maior possível. 
  • Notificar o guarda-florestal ou guia mais próximo.

Saiba mais informações úteis