COVID-19. Abrimos nossas fronteiras. Leia a informação aqui.

Procure em La Ruta Natural

Aqui você pode pesquisar na página de La Ruta Natural o conteúdo desejado.

Pesquisar:

Rota da Estepe

Chubut, La Pampa, Neuquén, Río Negro, Santa Cruz

Percorra esta rota e atravesse caminhos infinitos rodeados de guanacos e nandus-de-darwin (Rhea pennata pennata), descubra o rastro de dinossauros e bosques pré-históricos, sinta a força constante do vento e curta a magia de paisagens, povoados e parques nacionais que podem ser desfrutados de forma solitária. 

Percorra esta rota e atravesse caminhos infinitos rodeados de guanacos e nandus-de-darwin (Rhea pennata pennata), descubra o rastro de dinossauros e bosques pré-históricos, sinta a força constante do vento e curta a magia de paisagens, povoados e parques nacionais que podem ser desfrutados de forma solitária. 

Como descobri-la

A Rota da Estepe abrange a região central da Patagônica, do sul da província de La Pampa até a província de Santa Cruz. Você pode percorrê-la unindo as cidades da costa e da cordilheira por estradas que cruzam a região, parando em localidades intermediárias, ou começar a viagem saindo de cidades como Santa Rosa, Bahía Blanca, Neuquén ou General Roca e ir em busca de seus destinos imperdíveis.

Santa Rosa (La Pampa). Conta com aeroporto e é a porta de entrada norte para a região da estepe. Ao estar situada no centro do país, conecta com diferentes rodovias rumo aos 4 pontos cardiais. A 227 km você pode conhecer o Parque Nacional Lihué Calel, no coração da província. Em uma paisagem de planícies, você vai poder caminhar por serras de origem vulcânica com picos que chegam aos 600 metros de altura. 

Neuquén Capital. Tem boa conectividade aérea e terrestre, e é o ponto de partida para que você percorra a Rota dos Dinossauros Neuquina, o Parque Nacional Laguna Blanca e o circuito de vinícolas do Alto Valle. 

Viedma e Bariloche (Río Negro). Bons pontos para começar a travessia da estepe. Ambas têm aeroporto e estão unidas pela RN 23. Caso queira uma experiência distinta, o Trem Patagônico conecta as duas cidades. Tanto a rodovia quanto o trem bordeiam o planalto de Somuncurá entre paisagens solitárias e agrestes que revelam o lado menos conhecido da Patagônia. 

Puerto Madryn, Trelew e Esquel (Chubut). Cidades com aeroporto unidas pela RN 25, outra das rodovias que atravessa a região. Você pode chegar a lugares imperdíveis como os monumentais afloramentos rochosos avermelhados conhecidos como Los Altares e a solitária Piedra Parada, que se ergue como um totem na estepe. 

Comodoro Rivadavia (Chubut). Outra cidade com aeroporto. Daqui e rumo ao oeste, você vai passar pelos bosques petrificados de Sarmiento e pelo lago Musters, duas atrações imperdíveis desta rota. Rumo ao sul, o Parque nacional Bosques Petrificados de Jaramillo te convida a conhecer as jazidas de plantas fósseis mais importantes da Argentina e as maiores árvores petrificadas do mundo. 

Río Gallegos e El Calafate (Santa Cruz). Duas cidades com aeroporto que permitem descobrir o sul da Patagônia pela travessia mais curta e unir o mar com as geleiras. 

Como chegar e circular

Salvo Santa Rosa e Neuquén Capital, as cidades com aeroporto estão nos extremos da estepe: a este, perto da costa (Viedma, Comodoro Rivadavia, Río Gallegos) ou a oeste, junto à cordilheira (Bariloche, Esquel, El Calafate).

A melhor forma para percorrer a estepe é de carro (há agências de aluguel nos aeroportos e nas principais cidades). Há uma boa conexão de ônibus entre as maiores cidades de cada províncias. 

Tenha em mente que as distâncias na região costumam ser longas e em muitos casos é necessário dirigir várias horas para chegar a um atrativo. Nem todas as rodovias estão asfaltadas, e para visitar alguns pontos imperdíveis é recomendável fazê-lo com excursões. 

Onde comer e dormir

As cidades principais contam com boa infraestrutura e alojamentos. Também há fazendas, chácaras e casas de família que oferecem cabanas, dormitórios ou lugares para acampar. 

Quando ir

Você pode percorrê-la durante todo o ano, embora seja recomendável fazê-lo na primavera e no verão. Muitas estradas não estão pavimentadas e no inverto a chuva, a neve e as geadas podem dificultar o caminho. No verão é possível praticar esportes náuticos nos espelhos d’água da zona. 

Leve em consideração

Dado o contexto sanitário, averigue com tempo quais são os requisitos de acesso da província que você escolher. Alguns atrativos podem ter cotas e você deve se registrar com antecipação. 

Se você for circular de carro particular, respeite sempre as velocidades máximas, sobretudo dentro das áreas protegidas, para evitar acidentes, não incomodar a fauna e não danificar o veículo em estradas de cascalho. 

As distâncias são longas e há poucos postos de gasolina. Sempre convém abastecer o tanque de combustível antes de pegar a estrada. 

Em muitos lugares não há sinal de celular nem wifi, tampouco lojas de conveniência nem água potável. É fundamental que você sempre leve consigo alguns alimentos e bebidas. 

Consulte o estado das estradas porque algumas se encontram em mal estado ou sem pavimentar. Dirija com cuidado e, se você planeja viajar no inverno, leve correntes para a neve. 

É importante a proteção solar, usar um boné ou chapéu e calçado cômodo para caminhar já que em muitos lugares não há sombra. 

Os atrativos imperdíveis

Navegue pela rota